BENFEITA.BLOG.2002

 

A COMARCA DE ARGANIL - 31/12/2002

Centro Social Paroquial

A Drª Maria do Rosário Pimentel, que há cerca de 9 anos vinha exercendo as suas funções no Centro Social Paroquial da Freguesia de Benfeita, deixou-nos por motivo da sua vida particular e profissional, transferindo a sua actividade para o Sarzedo. Pessoa extremamente simpática e diligente, deu provas da sua competência, conseguindo mostrar ao longo deste período uma linha afectuosa com os utentes e população em geral, pela sua educação e gentileza que sempre usou neste tempo que devotadamente dedicou à freguesia da Benfeita.

Certamente que a Drª Rosarinha, como carinhosamente era tratada por muita gente, procurou o seu bem-estar profissional e familiar, obviamente, mas não é sem uma certa saudade que a vimos partir.

O seu trabalho aqui realizado e o seu alegre semblante será por nós sempre lembrado.

Pensamos que todos os que convivemos com a Drª Rosarinha lhe estão agradecidos, desejando-lhe assim as maiores venturas.

MANUEL SIMÕES

Manuel SimõesNo passado dia 15, quando se preparava para ir assistir à missa dominical, como era seu hábito, faleceu subitamente na sua residência, o nosso conterrâneo Manuel Simões.

Apesar dos sinais de vida já não darem muita esperança, foi ainda conduzido em ambulância a Arganil, mas a assistência médica que ali lhe foi prestada limitou-se a confirmar o óbito.

Foi durante toda a sua vida um homem de negócios, sendo magarefe a sua principal actividade. Viveu alguns anos em Moçambique, onde o seu trabalho foi sempre ligado à sua profissão.

Ao regressar fixou-se em Coimbra onde se dedicou alguns anos à construção civil.

Foi o primeiro presidente da Junta de Freguesia de Benfeita, democraticamente eleito, no pós 25 de Abril, cargo que desempenhou com devoção durante três mandatos consecutivos.

Foi fundador do Centro Social da Freguesia de Benfeita e pertenceu sempre ao elenco directivo.

Fez parte da direcção da Liga de Melhoramentos da Freguesia de Benfeita, ocupando durante algum tempo o lugar de presidente.

O seu raio de acção na profissão, que nunca deixou de exercer, estendia-se aos concelhos vizinhos especialmente de Pampilhosa da Serra, Oliveira do Hospital e Tábua, onde era muito conhecido devido às transacções constantes que a sua profissão exigia. E mesmo com a saúde abalada há anos, nunca deixou de percorrer inúmeras vilas e aldeias em busca de produtos para o seu negócio.

Dispondo de uma situação financeira confortável, contribuía sempre para todos os melhoramentos da sua terra, promovendo alguns actos religiosos de maior relevo e há anos que contemplava as crianças das escolas, pelo Natal, com brinquedos e doçarias.

Contava 78 anos de idade e deixa viúva Isaura Gonçalves Fernandes. Era pai do Dr. Natalino Fernandes Simões e avô de Ricardo Fernandes Simões.

A sua urna foi coberta com as bandeiras da Junta de Freguesia, Liga de Melhoramentos da Freguesia de Benfeita e da Sociedade Filarmónica do Barril de Alva.

O seu funeral realizou-se para o cemitério da Corga, precedido de missa de corpo presente, em que se incorporou muito povo e algumas representações de instituições, ficando o seu corpo depositado no jazigo familiar que ele próprio mandou construir.

ARTUR NUNES DA COSTA

Veja também:
Cemitério virtual


A COMARCA DE ARGANIL - 30/07/2002

Aniversário da Liga

A Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita, vai assinalar a passagem de mais um aniversário com a realização de dois acontecimentos.

Assim, a 10 de Agosto, terá lugar a "Feira do Avô" que incluirá uma mostra e venda de bordados feitos pelas senhoras da freguesia, para além de produtos regionais e artigos antigos, e manifestações gatronómicas tais como: peixes do rio, café servido na cafeteira de barro (o célebre "café da juíza"), broa e enchidos. A animação musical estará a cargo de Brasílio e filho.

O dia 11, será o Dia da Liga e, na Sede, que vai estar exposta para observação das obras, será prestada homenagem ao Rancho Regional da Benfeita, findando com um lanche para todos.

Veja também:
Feira do Avô


A COMARCA DE ARGANIL - 04/07/2002

Alice Gonçalves

Alice Gonçalves Depois de algum tempo de sofrimento faleceu nos Hospitais da Universidade de Coimbra, em 14/06/2002, onde há dias se encontrava, Alice Gonçalves, nascida e residente na Benfeita, viúva de António Bernardo Antunes (Branco), filha de Elisa de Jesus e de Antonino Gonçalves, que foi sócio e motorista da Empresa Automobilística Arganilense.

Apesar de ter tido a felicidade de ter nascido de pais abastados, o que lhe permitiu uma vida tranquila, nem por isso se envaideceu, tendo sido sempre uma pessoa comunicativa, de bom trato e de bons sentimentos, o que lhe permitiu ser merecedora de uma estima geral.

Viveu muitos anos em Coja com o seu marido, onde eram responsáveis pelo escritório da Empresa a que estavam ligados, onde certamente teve também boas relações pessoais como o justificam as inúmeras visitas que recebeu durante a sua doença por pessoas daquela vila que aqui se deslocavam para saber da sua saúde.

Contava 93 anos de idade e o seu funeral realizou-se para o cemitério da Corga, precedido de missa de corpo presente com grande acompanhamento.

A. COSTA


A COMARCA DE ARGANIL - 02/07/2002

Limpeza de matos

A Câmara Municipal de Arganil tornou pública a informação relativa ao que estipula a legislação sobre a "limpeza de matos, silvas e demais revestimento vegetal, num raio de 50m à volta de habitações, dependências, estaleiros, armazéns, oficinas ou outras instalações".

Acrescenta a informação camarária que "verificando-se, em muitas zonas do concelho, em especial junto de habitações e outras instalações, a existência de grandes quantidades de matos e silvas, chama-se a atenção de todos os proprietários para o estipulado naquele diploma" e que a sua "contra-ordenação é punível com coima de 199,52 € a 2.493,99 €, no caso de pessoas singulares, ou a 29.927,87 €, no caso de pessoas colectivas. A violação do dever incumbe aos respectivos proprietários".


A COMARCA DE ARGANIL - 25/06/2002

Festa do Santíssimo Sacramento

Teve lugar no passado domingo, a festa em honra do Santíssimo Sacramento, que é comum a toda a freguesia. Muitas crianças comungaram outras fizeram a sua Profissão de Fé, numa cerimónia com toda a solenidade a que presidiu o padre António Dinis. Terminada a celebração da missa e todos os actos religiosos marcados para aquele dia, teve lugar a procissão que seguiu pelo itinerário do costume, em que se incorporaram crianças e jovens que agora compreendem o mistério da fé, as irmandades de São Nicolau, de Pardieiros; Senhora da Paz, do Sardal; e Senhora da Assunção e Santíssimo, da Benfeita, muito povo que enchia por completo a igreja de Santa Cecília e ainda a Filarmónica do Barril de Alva que abrilhantou a festa condignamente. As ruas encontravam-se em grande parte do percurso com tapete de verduras e de muitas janelas pendiam bonitas colchas que ornamentavam e davam um colorido maior a festa.

SIMPÁTICA OFERTA

Entre algumas centenas de pessoas de toda a freguesia que aproveitando o fim de semana prolongado nos visitaram, contam-se Maria Isabel Cruz Pereira, residente em Castelo Branco, mas que também não esquece a terra que a viu nascer, e desta vez com mais um gesto simpático ao oferecer uma boa porção de cassetes de vídeo com programas históricos infantis que destinou à escola primária da Benfeita. É uma oferta que contém significativo valor cultural e que não podemos deixar de agradecer.

ARRANJO DE RUA

Há anos que se "reclamava" a melhoria de uma das principais artérias da povoação de Pardieiros, que vai do centro da aldeia ao cemitério, pelo piso irregular que aparentava. Porém, com o patrocínio da Junta de Freguesia, os trabalhos de restauro foram iniciados e esperamos em breve ver ali uma via perfeitamente transitável.

DOENTES

Numa clínica de Coimbra foi há dias submetida a uma operação cirúrgica, Alice Gonçalves Antunes, esposa de Rogério Gonçalves Pereira, de Luadas, comerciante ambulante, tendo já regressado a casa, encontrando-se em franca convalescença. Também Eduardo Dias, da Benfeita, depois de um prolongado internamento nos Hospitais da Universidade de Coimbra, regressou a casa onde tem experimentado algumas melhoras.

NOITE DE SANTO ANTÓNIO

A noite de Santo António foi muito festejada na Benfeita, por influência dos dirigentes da Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita que organizaram uma sardinhada, muito participada e com grande animação. Compareceu Brasílio Figueira, de Pai das Donas, que com o seu acordeon divertiu imenso todos os presentes, não faltando até o fado, cantado por diversos intervenientes.

A. N. COSTA


A COMARCA DE ARGANIL - 20/06/2002

Almoço da Liga

A Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita realizou em Lisboa um almoço que, segundo a direcção, teve uma presença significativa de conterrâneos e rendeu 399.360$00 (1.992,00 euros).

Por isso a direcção da Liga apresenta publicamente o agradecimento a todos "quantos marcaram a sua presença, bem como a todos que não estando presentes, prestaram a sua colaboração para que se pudesse realizar um leilão que bastante proveitoso foi para darmos continuidade aos projectos a que nos propusemos até ao final deste ano".

Mais informa a direcção da Liga que a cobrança das quotas do ano 2001 e 2002 estão ao cargo do dirigente Arlindo Simões.


A COMARCA DE ARGANIL - 21/05/2002

Dia da Espiga

Não vão muito longe os dias em que quinta-feira de Ascensão era tido pelo povo como um dos mais concorridos dias santos, também apelidado de "Dia da Espiga".

O catolicismo transferiu a ascensão do Senhor para o domingo seguinte, o que o povo não aceita muito bem e a maior parte honra ainda este dia reduzindo as suas actividades rurais ao indispensável, e a tradição da espiga também não se perdeu.

Neste contexto a Dr.ª Maria do Rosário, directora do Centro Social, naquele dia mobilizou toda a gente que ali se reúne organizando um cortejo, em que cada um empunhando um raminho de flores silvestres, com a respectiva espiga, percorreram as principais ruas da Benfeita entoando algumas canções populares que mereceram aplausos, pois tornou o dia diferente. Foi mais uma prova da sua actividade não esquecendo também de visitar as extensões de Pardieiros e Monte Frio, para cujos utentes houve também palavras de carinho e amizade.

OFERTA À BIBLIOTECA DA ESCOLA PRIMÁRIA

Quando há dias o casal José Esteves Cruz e Maria Isabel Cruz Pereira visitou a Benfeita, teve a amabilidade de nos confiar uma boa quantidade de livros que mandou oferecer à Biblioteca da Escola Primária da Benfeita.

Este casal, residente em Castelo Branco, visita frequentemente a Benfeita e, em várias situações, tem manifestado o interesse que tem pelo desenvolvimento e bem-estar da sua terra, o que mais uma vez se confirma com este gesto agradável.

Para eles o nosso bem-haja.

C.


A COMARCA DE ARGANIL - 09/05/2002

Sino da paz voltou a tocar

Como acontece todos os anos, no dia 7 de Maio, o "sino da paz" na Benfeita, voltou a anunciar o fim da Grande Guerra Mundial.

Como em todos os anos, o bronze fez ecoar pelas serranias envolventes da aldeia de Benfeita 1620 badaladas, ou sejam tantas quantos os dias que durou o sangrento conflito que empapou de sangue a Europa e outras zonas do globo, com realce para o Japão.

Este gesto, foi iniciado no dia em que se soube, telefonicamente, na Benfeita, que em Londres fora anunciado o fim da guerra, tendo então repicado o sino da Torre da Paz, mandada construir pelo ilustre benfeitense Mário Mathias, ligado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e o iniciador de uma família de diplomatas e literatos.

Foi nesse sino, que ainda não estava inaugurado, que António Martins, o popular "Mina" tirou os primeiros sons, sendo o relógio, que agora dá automaticamente as badaladas, construído por Manuel Couzinha, célebre relojoeiro natural da região com fabrica montada no concelho de Almada.


A COMARCA DE ARGANIL - 23/04/2002

Liga apresentou contas

Edifício da LigaA última reunião da Assembleia Geral da Liga de Melhoramentos da Freguesia da Benfeita ocorreu no dia 30 de Março, no edifício da colectividade, tendo então sido apresentado o relatório e contas do ano 2001 que foi aprovado por unanimidade e aclamação.

Analisados outros assuntos de interesse para a colectividade, passou-se em revista as obras já executadas e o levantamento do património já registado, bem como a alteração dos estatutos e regulamento interno que já tinham sido aprovados no ano 2001.

Foram louvados os sócios Carlos Cerejeira, Arlindo Simões e Jorge Luís, pelos serviços e apoios prestados à colectividade ao longo do ano 2001 e pelo Conselho Fiscal foi proposto um voto de louvor à Direcção, que foi aprovado por unanimidade e aclamação.

Quanto ao programa para o ano de 2002 foi apresentada apenas a ideia de um almoço que irá decorrer em Lisboa, em Maio, no Restaurante Stadium na Cidade Universitária.

A direcção aproveita desde já para solicitar aos nossos associados e amigos que estejam atentos pois em breve irá ser publicitado este evento.

Para finalizar a direcção solicita a todos os verdadeiros amigos da Liga que se unam à volta da mesma pois vontade de ir em frente é o que não falta.

Relativamente ao Relatório e Contas o respectivo documento salienta que entre as receitas geradas e as despesas efectuadas ao longo do ano, há a registar um saldo negativo de 1.555.440$00 (7.758,50 euros), diferença que é justificada pelos investimentos efectuados nas obras de beneficiação da Sede que, no seu final, totalizarão um valor que ascenderá aos 3.000.000$00 (três milhões de escudos).

A organização de eventos (almoços de confraternização, leilões, rifas) teve um peso bastante significativo (66%) na totalidade das receitas geradas. Aliás, caso o investimento associado às obras da sede não se tivesse realizado (63% das despesas), o exercício de 2001 terminaria com um saldo positivo de cerca de 600 contos.

Um outro aspecto importante (e preocupante) a ter em consideração pela direcção, prende-se com a fraca percentagem que a componente da quotização continua a ter na globalidade das receitas (9%), o que por si só atesta o grande défice em que vivem as finanças da Liga. Considerando-se a quotização angariada em 2001, constata-se que esse valor apenas sustenta um terço das despesas correntes.

Assim sendo, continua-se a verificar que a subsistência financeira da Liga faz-se essencialmente através de receitas extraordinárias, como sejam a organização de eventos e os donativos recebidos dos sócios e amigos da Liga.

Encontra-se por regularizar a cobrança do montante referente à diferença entre as existências iniciais (em 1/Jan) e as existências finais (em 31/Dez), respeitante à exploração do bar (66.129$00).



 OUTROS ANOS:

Ir para: